Document Type

Article

Journal/Book Title/Conference

Rev. Brasil. Biol.

Volume

31

Issue

4

Publication Date

12-1-1971

First Page

471

Last Page

483

Abstract

O sangue dos insetos está sujeito a mudanças constantes que podem ser determinadas por processos fisiológicos ou por condições patológicas. Essas mudanças podem afetar tanto o plasma como as células nêle presentes. Tem sido demonstrado em vários insetos que as fêmeas em geral têm maior número de células na hemolinfa que os machos, e as larvas que os adultos (TAUBER & YEAGER, 1935; 1936). Na abelha doméstica, TRIPARTHI & DIXON (1968; 1969), acharam diferenças na composição do plasma durante a diferenciação das castas e KOSTECKI (1965) diferenças no número de células nos adultos das diferentes castas. Com o desenvolvimento ocorrem mudanças tanto nas propriedades do plasma (BISHOP, 1923; WHEELER, 1963; MILSTEAD et al., 1967) como no número de células presentes (G1LLIAM & SHIMANUKI, 1966; 1967) ou no tipo e morfologia dessas células (FEIR & McCLAIN, 1968; FERRI et al., 1968; NAPPI, 1970). Segundo NELSON (1915) os hemócitos das abelhas originam-se a partir do mesoderma do embrião e todo o aumento em número ou diferenciação que ocorre posteriormente se faz a partir das células pré-existentes. A êste respeito, atividade mitótica tem sido verificada nos hemócitos dos insetos (FEIR & McCLAIN, 1968) e GUPTA & SUTHERLAND (1966) puderam acompanhar a transformação, "in vitro" de plasmatócitos em outros tipos de células. Tendo em vista o exposto acima, pretende-se neste trabalho estudar a variação do número e dos tipos de hemócitos que acontece no período que medeia entre a eclosão da larva e a emergência do adulto em Melipona.

Available for download on Saturday, January 01, 2050

Included in

Entomology Commons

Share

COinS